Ali San Francisco

Dicas de viagem e experiências locais em San Francisco, CA.

featured-criancas-san-francisco

San Francisco com crianças: 9 dicas práticas para sua viagem

San Francisco é uma cidade ótima para viajar com crianças. Ainda assim, com algumas dicas práticas, sua viagem vai ficar bem mais confortável. Digo isso de primeiríssima mão!

Moro aqui com minha filha, de 1 um ano e meio. Vivo na pele, todos os dias, a experiência de estar em San Francisco com criança pequena. Você está vindo pra cá com seu pimpolho, é? Que legal!

Eu adoro viajar com criança! Antes de ser mãe, bati muita perna com meus sobrinhos. Depois, coloquei minha bebê na estrada aos 3 meses e nunca mais parei.

Ela nem sequer andava quando fizemos uma mudança intercontinental: da Holanda aqui para a Califórnia. Te entendo bem, viajar com criança sempre dá aquela insegurança!

Sobretudo, se você não sabe o que esperar do lugar: se vai ser fácil se locomover, se vai ter o que precisa, que tipo de roupa levar e por aí vai. Mas pode ficar tranqüilo!

San Francisco tem uma boa infra-estrutura para crianças e, com as minhas dicas, garanto que vai ficar ainda mais fácil. Vamos lá:

1. Passe protetor solar

San Francisco é conhecida pela neblina. É verdade! Mesmo assim, o sol daqui é forte para chuchu, queima pra valer.

E não se engane, mesmo em dias mais nublados, o pouco de raios que passa entre as nuvens é suficiente para queimar. É… eu já caí nessa! Vai por mim.

Você conhece sua família melhor do que eu. Escolha o fator de proteção ideal pro seu tipo de pele e aproveite:

Criança no parquinho em San Francisco

Está um dia lindo lá fora!

2. Traga um casaco, mesmo no verão!

Peraí, Aline, você acabou de falar pra passar protetor solar. Agora vem me dizer para levar um casaquinho?

É, oras!

Bem-vindo a San Francisco! O apelido “Fog City” não é à toa. Eu falei que tinha neblina, não falei? A depender do dia, o clima daqui no verão pode ser muito parecido com o inverno de muitas cidades do Brasil. Com freqüência, até mais frio!

Além disso, está bem pertinho do mar, então, venta pra caramba. E quando o sol se põe, aí não tem jeito, esfria mesmo!

Normalmente, visto minha bebê em camadas, como ogros e cebolas. Ao sair de casa, coloco camiseta de manga curta e uma calça leve. Mas sempre carrego na bolsa um casaquinho, um corta-vento e um par de meias.

Se você vai ficar fora até de noite, fique atento! É comum a temperatura chegar a 10°C em pleno verão:

Clima verão em San Francisco

Previsão do tempo para uma semana de Agosto, alto verão em San Francisco.

3. Tenha sempre garrafa d’água

Aline, essa dica para andar com criança é meio óbvia, né? É claro que vou levar água para passear com meu filho!

Eu sei, eu sei. Mas o que eu quero te contar é que em San Francisco a água da torneira é potável. Pode beber sem medo!

Além disso, é bem fácil achar bebedouros nos parques, praças e lojas:

Bebedouro de água potável em San Francisco

Eles estão meio que em todo lugar!

Eu ando sempre com minha própria garrafa e vou repondo no caminho.

Em restaurantes, é mega comum servirem água à vontade e de graça nas mesas. Então, antes de ir embora, sempre peço para encherem minha garrafa e, assim, mantenho a família toda bem hidratada.

4. Ande leve

Se você é como eu, que gosta de bater perna, explorar cidades à pé, prepare-se para as ladeiras de San Francisco.

Ladeira em San Francisco

Na hora de descer é fácil. Mas na subida…

Sobretudo, com criança, seja criterioso na quantidade de coisas que vai carregar. Eu sei que é difícil. A gente quer se precaver e levar o mundo nas costas, mas aí fica pesado.

Olha, San Francisco é uma cidade incrível para descobrir andando. Eu faço isso todos os dias com a minha filhota. Adoro!

Saia andando sim, mas saia leve!

5. E pegar transporte público com criança?

Aaah, andar de ônibus, bonde, metrô, em San Francisco com criança pequena é toda uma arte. Mas se eu consegui desenvolver com maestria, você vai tirar de letra!

Dica: esqueça aquele carrinho trambolhoso e pesado, cheio de acessórios, rodonas imensas, que mais parece um SUV. É, eu sei que é mais confortável pro bebê, ótimo para manobrar e tal. Mas acredite:

Carrinho de bebê menor do mundo em San Francisco

Aqui em San Francisco, você vai querer um Mini, não o SUV para carregar seu filho!

A gente, depois que mudou pra cá, passou a usar o carrinho de bebê menor do mundo. Dobrado, ele fica do tamanho de uma mochila e pesa menos de 4kg:

Carrinho de bebê menor do mundo em San Francisco

Versão prática, fácil de dobrar, que uso no dia-a-dia aqui em San Francisco.

carrinho-bebe-menor-do-mundo-gppockit-3

Versão mais compacta, que uso para viajar. O relógio ajuda a dar uma noção do tamanho. É incrível!

O GB Pockit Stroller** foi o melhor investimento que fizemos para sobreviver com a Bebê nessa cidade.

Em Amsterdam, eu estava bem mal acostumada com o transporte acessível. Não que aqui em San Francisco seja ruim! A rede Muni – o sistema de transporte público daqui – atende grande parte da cidade, os ônibus são elétricos e tem uma série de outras vantagens.

E aqui tem também o BART, a rede intermunicipal de trens, que circula em San Francisco e liga várias outras cidades vizinhas.

Mas em termos de acessibilidade, aqui é mais comparável a cidades como Londres, Paris ou Berlin. Os veículos, no geral, são meio antigos!

Transporte público em San Francisco

Alguns antigos e charmosos!

Então, prepare-se para subir escadas de ônibus, bonde e estações. Estacionar carrinho de bebê no meio do corredor e desembarcar tirando meio mundo de dentro do veículo, só pra você poder descer.

Tenho algumas dicas que podem te ajudar:

Em alguns meios de transporte, até existe vaga designada para carrinho de bebê. Mas é raro! Na falta, você tem direito a usar todas as facilidades designadas para cadeiras de rodas.

Não apenas o espaço para estacionar o carrinho, como também o elevador para subir as escadas:

Criança usando elevador acessível do ônibus em San Francisco.

Como fez essa mãe com seus dois pimpolhos!

Isso é lei. Você sempre terá, porém, de dar lugar ao cadeirante, quando houver. A prioridade é dele, não sua.

Além disso, não espere pela iniciativa do motorista ou dos passageiros para fazer uso do que precisa. Você tem de ativamente pedir para acionar o elevador do ônibus ou para as pessoas vagarem o espaço pro seu carrinho.

Como não está sinalizado em lugar nenhum que é reservado também para bebês, não se espante se alguém te questionar. Sabe como eu me viro nessa?

Ah, americano é fanático por segurança, né? Eu faço a maior cara impassível e digo que aquele é o único lugar seguro para transportar minha filha. Até hoje, ninguém nunca me negou o espaço depois dessa 🙂

Carrinho de bebê estacionado no ônibus de San Francisco

A Bebê estacionada direitinho na vaga para carrinhos.

Existe muita gente solícita em San Francisco sim. Com freqüência recebo ajuda para desembarcar do ônibus com bolsa, Bebê, compras. Isso é bem legal!

Em alguns veículos, você tem de dobrar os assentos pra estacionar o carrinho ou a cadeira de roda. Geralmente, tem pessoas usando essas cadeiras e, para complicar, este espaço é lá no meio, longe da porta de entrada com elevador acessível.

Na prática, hoje em dia uso um carrinho compacto ou o canguru. Aliás, canguru é altamente recomendável para usar por aqui.

Nós temos a marca americana Ergobaby** e adoramos. Carregamos a Bebê nele desde que nasceu. Já batemos muita perna por aí e, agora, tem funcionado lindamente no transporte público aqui em San Francisco.

Mas eu sei bem que para andar o dia todo, ainda mais carregando bolsa com tralha de pimpolho, pode ficar cansativo.

Por isso, quando tudo o mais falhar, peça um táxi:

6. Táxi em San Francisco com criança pequena

Já sei o que você está pensando:

Como, Aline, nos Estados Unidos, vou andar de táxi sem a cadeirinha pro carro?

Com bebê pequeno, realmente não tem jeito. Precisa ter a cadeirinha adequada. Agora, se o seu filho já é mais crescidinho, com mais de um ano ou andante – toddler, em inglês -, existem alternativas!

Aqui em San Francisco é permitido crianças andarem no táxi, desde que sentadas no banco de trás e circulando apenas dentro da cidade (não em rodovias). Eu tenho ainda uma outra solução prática, porém segura, que aprendi por aqui:

Use o canguru no táxi! Você coloca a criança no colo, senta no banco de trás, passa o cinto apenas pelo seu corpo e, então, prende seu filho com as alças do canguru junto ao seu corpo.

Você fica sentado de frente, enquanto a criança está de costas, grudadinha em você. De quebra, é gostoso passear assim, de rostinho colado com seu bebê. Aah, eu adoro!

Mas Aline, rola pegar Uber ou Lyft desse jeito, só com canguru?

Teoricamente, não. Pela lei, Uber ou Lyft não são classificados como táxi. Portanto, aplicam-se todas as regras de carro particular: precisa ter a cadeirinha.

Na prática, porém, dentro da cidade muitos motoristas até aceitam transportar assim. Agora, é uma irregularidade e eles sempre podem negar a viagem na hora. Já vi acontecer!

Na dúvida, pegue um táxi. Que aliás, você pode pedir com o próprio applicativo do Uber, sabia?

Tela do Uber para pedir táxi em San Francisco

É só selecionar a opção no menu inferior.

7. Restaurantes kinder friendly

Uma coisa é preciso que se diga: aqui em San Francisco as pessoas são muito fofinhas e queridas com crianças, especialmente em restaurantes. São super atenciosos!

Sério, mais de uma vez ganhamos serviço de babá de graça: garçons passeando por aí com nossa filha no colo, pelo restaurante, e nos deixando curtir o prato e vinho com tranqüilidade. Minha eterna gratidão!

E além de carismáticos, o atendimento para os pequenos é VIP: trazem água em copinho de plástico com canudo e, via de regra, dão papel e giz de cera para desenhar.

Criança sentada à mesa em restaurante de San Francisco

A nossa bebê adora comer – digo, desenhar! – com giz de cera na mesa.

Só fique atento aos restaurantes com bar: a depender do registro que têm na prefeitura, proíbem a entrada de menores de 21 anos. É, eu sei! Também acho essa lei um grande exagero. Poxa, minha bebê só queria um vinhozinho para acompanhar a refeição! Eeer, digo…

Mas calma, nem tudo está perdido. Existem bares ótimos em que você pode levar seu filho até, pelo menos, o fechamento da cozinha. Só confirme antes, para não ser pego de surpresa!

No geral, os restaurantes têm menu infantil, servem meia porção numa boa se você pedir e têm ótima infra-estrutura, com cadeirão para bebês e tudo o mais. Por falar em ótima infra-estrutura…

8. Tem trocador de fralda em todo lugar

Outra coisa maravilhosa daqui é a facilidade para trocar a fralda do seu bebê.

Já até aconteceu da gente precisar improvisar. Mas é muito raro! O comum é ter trocador em todo canto. E sabe o que é ainda melhor?

Quando eu falo em todo canto, quero dizer no banheiro feminino e no masculino. Não é incrível isso?

Amo essa igualdade de gênero aqui em San Francisco! Porque antes, quando saíamos de casa, a tarefa de trocar fraldas era praticamente exclusividade minha.

Pai trocando fralda de bebê em um banco de praça

Tá, às vezes dávamos um jeitinho e o Érre se virava na rua mesmo.

Mas agora, nós dois assumimos o posto fraldístico, dentro e fora de casa.

E tudo isso quando sequer há distinção pra homem e mulher no banheiro:

Placa de banheiro unissex de San Francisco: whichever

Com freqüência, é unissex e pronto! :)

Como não amar San Francisco? ♥

9. Parquinhos públicos sensacionais

E na hora de brincar, San Francisco também é excelente, com parquinhos públicos ótimos e em grande abundância pela cidade.

Sem querer você vai se deparar com eles, porque estão realmente espalhados por tudo. E são de uma qualidade fenomenal!

Sério, eu tenho um carinho todo especial pelo “San Francisco Recreation and Parks Department”, o órgão que cuida da manutenção deles aqui. E se seu filho for como a minha, se prepare!

Eu achei mesmo suspeito, quando uma das primeiras palavras da Bebê foi “BINCÁAA” (invariavelmente, com toda essa empolgação!). Foi pouco depois de mudarmos pra cá. Ela também sabe apontar direitinho pro que quer. Espertas essas crianças, né?

Os parquinhos de San Francisco quase sempre têm banheiro público gratuito e bebedouro. E brinquedos para crianças de várias idades.

São fechados com portão de segurança e têm um chão bem macio para amortecer a queda da criançada. O que, bem… não impede os americanos de colocarem capacete nos filhos para andar de patinete! Patinete! Na boa, não estou falando de moto ou para-quedas. É patinete. Sei lá, vai que… né?

Tá, eu sei que ainda vou passar pelo processo de integração e um dia, lá no futuro, tudo isso vai ser parte de uma realidade meramente concreta. Conversamos daqui a uns anos, ok? Enquanto isso, vou me divertindo com os choques culturais 🙂

Voltando à nossa conversa, quer uma sugestão de parquinho bem bacana em San Francisco?

Dica de parquinho para criança no Dolores Park em San Francisco

Meu favorito… quer dizer, o favorito da Bebê é o do Dolores Park!

O parquinho do Dolores é grande e super completo: com escorregador alto no topo do morro, balanços de vários tipos diferentes, banco de areia para os pequenos. É excelente para crianças de todas as idades!

Mas mais do que isso, fica num parque muito bonito de San Francisco:

Vista para San Francisco do Dolores Park

E com vistas bem legais da cidade!

Sem contar que o Dolores Park está no coração do Mission, um dos bairros mais vivos de San Francisco! Ali pertinho você tem restaurantes, padarias, sorveterias e mercados deliciosos para passear. É perfeito para a família toda!

Trazer bebês e crianças pra San Francisco não é necessariamente fácil, mas é certamente muito legal 🙂

E você, tem alguma dica ou dúvida sobre viajar com pimpolhos? Manda aí nos comentários, que a gente se ajuda!

 

** Links afiliados da Amazon

Dicas de San Francisco!

Inscreva-se e fique por dentro do que rola por aqui:

* obrigatorio

Anteriores

Passeio de barco em San Francisco: conheça Tiburon

Próximo

Passeio panorâmico em San Francisco: Point Bonita Lighthouse

2 Comentários

  1. Emília Castro madrigrano .

    Boas dicas, ressaltando todo o esquema para transportar crianças no transporte público. Gostei dos restaurantes onde os garçons dão uma ” mãozinha “e os pais podem saborear sua refeição mais tranquilos.
    Sugiro dicas daqueles lugares para comer, gostosos, simples e sem invasão de turistas.

    • Emília, obrigada pelo comentário. Já acatei sua sugestão! Pode deixar que vou trabalhar – com prazer – nessa sua ideia. E, claro, para falar dos restaurantes e lugares gostosos aqui no blog, precisa provar, não é mesmo? Eu sei que é um trabalho super duro, mas alguém tem de fazê-lo, hahaha 😀 Abraço!

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados, exceto onde explicitamente anotado © 2016 Aline Lickel


Made with ♥ in San Francisco

Youtube
Instagram
Snapchat
Facebook
SOCIALICON