Ali San Francisco

Dicas de viagem e experiências locais em San Francisco, CA.

point-bonita

Passeio panorâmico em San Francisco: Point Bonita Lighthouse

Uma das vantagens de San Francisco é estar perto de paisagens deslumbrantes e poder fazer passeios panorâmicos lindos: como esse para o Point Bonita Lighthouse.

Você não precisa ir muito longe da cidade para curtir vistas espetaculares. Se você mora aqui, durante a semana pode usufruir de toda a infra-estrutura da metrópole: estar perto do trabalho, bares, lojas e restaurantes (sem mencionar viver numa cidade charmosa, vai?). E no fim de semana, escapar e aproveitar a natureza.

E se você está aqui de férias, melhor ainda: pode ir a qualquer hora explorar, sem se preocupar. Bom, né?

Quer dizer, “a qualquer hora” exceto para visitar este farol:

O Point Bonita Lighthouse

O farol do Point Bonita é um lugar lindo. Vale a pena conhecer, de verdade! Só exige um pouco de planejamento: ele fica aberto apenas aos Sábados, Domingos e Segundas, das 12:30 às 15:30. É bom também espiar a previsão do tempo. Um dia com céu aberto faz toda a diferença!

O que eu gosto deste roteiro é que é tão pertinho de San Francisco, que você consegue fazê-lo em apenas uma tarde, com tranquilidade. Ao mesmo tempo, é super completo!

Você cruza a famosa Golden Gate Bridge, dirige pela costa numa estrada linda e depois caminha pelas falésias, com vistas ainda mais legais, até chegar no Point Bonita:

Point Bonita Lighthouse e veleiro

E bota “Bonita” nisso!

Além de aprender um bocado sobre a história de San Francisco. Quer ver? Vem cá, vou te mostrar tudo.

Mas antes, para uma experiência bem autêntica na Califórnia, faça como nós:

Vá de carro conversível

Ah, claro, se vamos dirigir pela Califórnia, vamos fazer direito, oras! O melhor jeito é alugar um carro conversível e deslumbrar-se com as paisagens na estrada.

goldengatebridge-sanfrancisco

Vista à sua direita, saindo de San Francisco.

Nós moramos em San Francisco e não temos carro. Usamos transporte público, andamos à pé, pegamos táxi, os Ubers da vida e alugamos automóvel quando precisamos.

Dentro da cidade e para viagens curtas, usamos um sistema de carros compartilhados: ZipCar. O aluguel é cobrado por hora, não por dia. Para este tipo de uso, acaba saindo mais em conta do que uma diária comum.

Além disso, é prático, pois esses carros ficam espalhados pela cidade, então, sempre tem um perto de você. Já tínhamos usado esse tipo de serviço quando morávamos em Amsterdam.

Aqui em San Francisco, o que acho legal do ZipCar é que a frota é bem variada. Eles têm, inclusive, um Mini conversível:

carro-conversivel-california

Nosso favorito para dias quentes e passeios com vistas legais!

Agora, nesse sistema de compartilhamento, você precisa pagar mensalidade, acaba não compensando para usar apenas uma vez. Se você está aqui de férias, sugiro alugar um carro numa locadora de veículos tradicional. Mas quer uma dica?

Alugar carro no aeroporto de San Francisco é consideravelmente mais em conta do que dentro da cidade. É como nós fazemos para viagens maiores!

Mas e aí, Aline, é seguro andar por aí com esse carro todo aberto?

Olha, lugar nenhum do mundo dá para marcar bobeira, não é? Eu recomendo fechar tudo bem direitinho, na hora de estacionar.

Não deixe nada dentro do carro, muito menos coisas de valor. Nunca, jamais, largue documentos, cartões de crédito e passaportes. Não vacile! É aquela coisa, tem roubo no Brasil, aqui em San Francisco, tem na Holanda e na Suécia… lugar nenhum dá para confiar!

Ainda assim, San Francisco é razoavelmente segura. Nós e todos os san franciscanos vivemos nessa cidade todos os dias, numa boa, sem grandes problemas.

Pegue seu conversível, os óculos de sol, ligue o som e saia cantando bem alto: “Hit the road Jack and don’tcha come back no more no more no more no more…”

Mas pra onde, Aline?

Como chegar no Point Bonita Lighthouse

Saindo do centro de San Francisco, siga no sentido norte, em direção à Golden Gate Bridge. Você vai pegar a US-101 N, para o Marin County.

Cruze a Golden Gate. Mas ei, não se esqueça de olhar pra cima, observar bem de perto os detalhes Art Deco da ponte e, claro, fazer um vídeo muito massa:

Passar pela Golden Gate de conversível ✔😍

A video posted by Aline Lickel (@alisanfrancisco) on

Se você plotar o caminho no Google Maps, ele vai indicar o trajeto mais rápido. Eu recomendo fortemente fazer um desvio e ir pela costa, margeando a água.

O ponto todo é aproveitar as vistas lindas para baía de San Francisco, afinal! Passando pela Golden Gate, pegue a segunda saída à direita, a 442 pra Alexander Ave (a primeira saída é para o Vista Point, a 442 é logo depois).

Em seguida, vire à esquerda seguindo as placas como se fosse voltar para San Francisco. Esse é justamente o desvio, diferente da sugestão padrão do Google Maps.

Você vai passar por baixo da rodovia. Saia na primeira à direita e siga pela Conzelman Road. Para facilitar, coloquei o meu trajeto no mapa. Pode usar!

A viagem é curta, em coisa de meia hora você chega lá. E a estrada é bem sinalizada. Tem placas indicando para o Point Bonita Lighthouse:

placa-point-bonita-lighthouse

É só seguir!

Se você está sem GPS e não tem 3G no seu celular, pode fazer o download do mapa offline para usar na estrada. Ou, simplesmente, imprima no papel as direções que compartilhei no Google Maps e leve junto.

Não é só porque você está perto do Vale do Silício que tudo precisa ser ultra mega tecnológico, né? Na verdade, San Francisco é tão hipster, que quanto mais analógico, mais local você vai parecer. Se tiver uma barba lenhador na cara, então, melhor ainda 🙂

Digitalizado ou não, vá curtindo:

Aproveite as vistas panorâmicas

Há quem diga que essa é uma das estradas mais lindas da Califórnia. Eu não duvidaria!

Baía de San Francisco do Point Bonita Lighthouse

Que azul dessa água!

Durante o trajeto, você vai ver alguns aglomerados de carros parados na beira da estrada. São os mirantes!

Têm três. Vale a pena parar em cada um deles, especialmente no primeiro e no último:

Golden Gate Bridge e San Francisco

E fazer fotos como essa!

Mas o melhor, na verdade, é parar na volta, pois os mirantes estarão do lado certo da pista. Fica mais fácil estacionar.

Você vai dirigir, então, até chegar no estacionamento do Point Bonita YMCA. A partir daqui, não é mais permitido carro. Aliás, nem bike e nem cachorro. Criança pode!

O estacionamento é de graça, você só precisa parar o carro e dançar a coreografia do “Uaaaaaai-Em-Ci-Ei” 😉

Estacionamento do Point Bonita YMCA

Estacionamento do Point Bonita YMCA.

Parado o carro, hora de pegar a “trilha”. Eerr… quer dizer: trilha entre aspas, porque essa é, na verdade, bem fichinha.

É, digamos, uma deliciosa caminhada!

Se você é como eu e adora um picnic, tem um espaço bem legal não muito longe do estacionamento. Fica logo à esquerda, no começo da dita “trilha”, com uma bela vista para a água.

Leve uns sanduíches, frutas frescas e aproveite!

Andando até o Point Bonita Lighthouse

A caminhada para o farol é tranqüila, coisa de 0.5 milhas e praticamente sem elevação.

Mi… o quê, Aline?

Milhas, eu falei. Haha, ficou perdido, é? Sei como se sente. Também passo por isso todos os dias.

Bem-vindo aos Estados Unidos! Aqui não se usa quilômetros. O sistema de medidas americano é todo diferentão: distâncias são dadas em milhas, temperatura em graus Fahrenheit e por aí vai.

Mas calma, eu te ajudo: 0,5 milhas é menos de 1 km. Cerca de 800 metros. Bem sussa!

A trilhinha é tão sossegada e acessível, que rola fazer de pogoball (lembra?) ou com carrinho de bebê:

Carrinho de bebê com pai no Point Bonita Lighthouse

É, aliás, um excelente programa de família!

E o mais legal é curtir as vistas, porque são muito especiais! Não se apresse e aproveite:

Morros do Marin County e água azul da baía de San Francisco

Os morros do Marin County e o azul da baía!

Tenha em mãos sua câmera e vá curtindo a paisagem, ouvindo o barulho das ondas quebrando nas pedras, os passarinhos:

baia-sanfrancisco-pointbonitalighthouse-3

É um passeio delicioso!

E além disso, conhecer o Point Bonita Lighthouse é conhecer também um pouco da história de San Francisco. E do Brasil!

Um ponto de vista histórico

No final do século XIX, foi descoberto ouro aqui na região da Califórnia. O porto de San Francisco passou a ter, então, grande importância, tanto para os exploradores, quanto para os colonos que chegavam para se assentar aqui no velho-oeste.

Aliás, você já parou para pensar que San Francisco está no velho-oeste?

Pois é! Mas agora que você pintou na cabeça toda a imagem de índios americanos, cactus no deserto e cowboys armados abrindo portinholas de bar no faroeste, vamos voltar à história do farol:

San Francisco é bem famosa pela neblina, você sabe! E a baía de San Francisco, especialmente no trecho da Golden Gate, é particularmente coberta pelo fog.

Peraí, Aline, você está me contando história da corrida do ouro, 1800 e tralalá. Por acaso já existia nessa época a ponte, a Golden Gate Bridge?

Ah, não! Mas é que Golden Gate é também o nome da passagem, o estreito que separa San Francisco ao sul, da porção norte, o Marin County:

A Golden Gate Bridge foi construída só depois, na década de 30 (as construções começaram em 1933) e ganhou este nome justamente por causa do estreito Golden Gate.

Mas como dizia, essa região tinha (e tem até hoje) muito fog e os navios tinham de passar por ali para chegar no porto de San Francisco.

Era extremamente perigoso atravessar por esse trecho cheio de pedras, ilhas e sem visibilidade. Foi aí que construíram três faróis – Alcatraz, Fort Point e o Point Bonita – para guiar as embarcações.

Farol Point Bonita Lighthouse em San Francisco.

O farol Point Bonita além de charmoso, é funcional.

Ainda assim, muito barco afundou por essas águas. Dentre eles, o navio a vapor batizado com o nome da cidade carioca: City of Rio de Janeiro.

Hein?

É! Foi um navio construído em San Francisco, numa parceria entre Brasil e Estados Unidos, para servir a rota entre os dois países. Anos depois, a ideia se mostrou uma grande furada, pouco lucrativa, e o navio foi, então, vendido para a Pacific Mail Steamship Company.

Foto antiga do navio City of Rio de Janeiro

O lindão City of Rio de Janeiro. Foto: Domínio Público Wikipedia.

Passou anos navegando pelo Pacífico, entre San Francisco e cidades no Hawaii, Japão e China. Até que em 1901, colidiu com umas rochas aqui no estreito da Golden Gate, num dia de neblina muito forte, e afundou.

Eram tempos difíceis!

Navio de carga e veleiro na baía de San Francisco

Hoje em dia as coisas são bem diferentes!

O farol do Point Bonita funciona até hoje. Mas passou por várias reformas e atualizações da tecnologia. Além da luz do farol em si, quando a neblina é muito intensa, ele envia também sinais de som.

Ufa! Eu estava mesmo achando estranho funcionar só com iluminação no meio de tanto fog. Não sei você, mas eu não enxergo patavinas nessa névoa branca:

O sistema sonoro do farol já foi bem diferente. Teve época que operou por canhões, depois instalaram uma sirene a vapor. Hoje em dia é uma buzina elétrica que envia sinais de som em intervalos de tempo ritmados.

Visitar o Point Bonita Lighthouse é um passeio muito bacana. Além de tudo o que te contei aqui, você pode ir ainda mais a fundo: no farol sempre tem voluntários cuidando da preservação do lugar, tirando dúvidas e ensinando. De graça!

Se você é como eu, fanático por história, vai amar!

Na hora de voltar, não se esqueça de parar nos mirantes para ver a cidade e tirar mais fotos da Golden Gate (achou que tinha pouco?):

Golden Gate Bridge em San Francisco

O alaranjado da ponte em contraste com o azul da água. Aaah!

Faça selfie, registre tudo e compartilha aí! Posta lá na página do Ali San Francisco no Facebook para eu poder dar um like também? 🙂

Passando de volta pela Golden Gate Bridge, tem um pedágio. Mas diferente do Brasil, aqui você não paga na hora. Veja na locadora de veículos se seu carro já possui FasTrak (o “Sem Parar” daqui). Se não tiver, tudo bem, passe e faça o pagamento online depois (o site do pedágio tem até informação em português, é tranqüilo!).

E se você gostou desse passeio, acho que vai curtir também Tiburon: uma vila muito charmosa na costa da baía aqui de San Francisco.

Dicas de San Francisco!

Inscreva-se e fique por dentro do que rola por aqui:

* obrigatorio

Anteriores

San Francisco com crianças: 9 dicas práticas para sua viagem

Próximo

5 comidas típicas em San Francisco

2 Comentários

  1. MARISTELA BERNARDO

    Muito bom, Aline! Deu vontade…

  2. Frida Lickel

    Amei e estou louca para dar umas voltinhas por ai.

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados, exceto onde explicitamente anotado © 2016 Aline Lickel


Made with ♥ in San Francisco

Youtube
Instagram
Snapchat
Facebook
SOCIALICON